Amazônia Pará

PA: Esposas de detentos fazem ato em presídio

Redação
Escrito por Redação

Um grupo de esposas de detentos custodiados no Presídio Estadual Metropolitano I (PEM I), em Marituba, Região Metropolitana de Belém, realizaram um pequeno ato em frente ao local na manhã deste sábado (2). Apesar de ser dia de visitas, elas alegaram que foram impedidas de visitar os internos, e dizem que um deles está gravemente doente no local, sem receber atendimento.

“Nessa semana, um dos detentos morreu com leptospirose. Agora, o meu primo está agonizando, com os mesmos sintomas, mas não está recebendo atendimento médico. Vai acabar morrendo também”, afirmou a parente de um dos detentos, que preferiu não ser identificada.

Elas ainda afirmam que várias mulheres foram impedidas de entrar no local, e que guardas chegaram a utilizar sprays de pimenta para dispersar as esposas. “Barraram a gente com truculência. Chegaram a usar o spray até em uma mulher com deficiência”, completou.

Procurada pelo DOL, a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) afirmou que as mulheres impedidas de entrar no local não estavam cadastras para participar das visitas. O órgão afiram ainda que, durante fiscalização, “foram flagradas seis mulheres com documentação falsa, na fila de entrada para acesso da unidade prisional. A polícia foi chamada para fazer a contenção do problema.”

Um detento passou mal nesta semana e foi encaminhado para uma unidade de saúde, mas acabou falecendo. Os familiares dizem que ele foi contaminado por urina de rato e morreu devido a complicações de uma leptospirose. Os exames para confirmar se ele estava com a doença ainda não tiveram resultado.

Já sobre o interno supostamente passando mal com os mesmo sintomas, a Susipe informou que deverá receber atendimento médio dentro do presídio, e caso a equipe médica avalie como necessário, poderá receber atendimento fora da unidade prisional.

(DOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.