Amazônia Pará

PA: paraenses vivem semana de caos no abastecimento

para-sem-agua
Redação
Escrito por Redação

A odisseia em que se transformou a manutenção da rede de abastecimento de água de Belém, iniciada na última sexta-feira, dia 3, trouxe à tona um assunto que andava meio adormecido: a precariedade da gestão de água na capital paraense e também no resto do Estado.No final da gestão do ex-prefeito Duciomar Costa (PTB), que saiu do cargo no final de 2012, a discussão sobre uma possível privatização do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Belém (Saaeb) gerou discussões mais do que acaloradas na Câmara Municipal de Belém (CMB), mas a matéria acabou não vingando: de lá para cá, o parlamento municipal não colocou mais o assunto em pauta.

 
No entanto, a bancada de oposição avisa que está atenta para a possibilidade de o Poder Executivo utilizar a crise mais recente para reavivar o tema e fazer da possibilidade de repasse do serviço para a iniciativa privada a única saída para a melhoria da situação.

LÓGICA DO PRECÁRIO

Com ou sem privatização, o fato é que os números apontam um cenário preocupante. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará tinha uma população estimada, em 2014, de pouco mais de 8 milhões de habitantes, e só cerca de 30% desse total é atendido pela Companhia de Saneamento do Pará.

E o alcance da rede não chega nem à metade dos 144 municípios: de acordo com dados da própria Cosanpa, a presença do órgão se restringe a 56 cidades, que somam quase 4 milhões de moradores, incluindo Belém, Ananindeua e Marituba, municípios da Região Metropolitana de Belém.

Esses serviços alcançam cerca de 2,4 milhões de pessoas. No Plano Plurianual (PPA) 2011-2015, os investimentos previstos eram na ordem de R$ 1,6 bilhão, mas no novo PPA 2015-2019 os valores caíram bastante e estão aprovisionados em R$ 600 milhões, ainda de acordo com a Cosanpa.

O avanço, por mais que previsto, é lento: a reversão desses recursos em obras devem atender somente mais 600 mil habitantes. Procurado pela reportagem do DIÁRIO para falar sobre seu alcance e investimentos previstos, o Saaeb não enviou nenhuma resposta.

(Diário do Pará)

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.