Amazonas Cidades

Pai que abusava de três filhas adolescentes é preso na ZL de Manaus

Delegada Juliana Tuma(DEPCA), dm coletiva de imprensa/Foto: Erlon Rodrigues
Redação
Escrito por Redação
Delegada Juliana Tuma(DEPCA), dm coletiva de imprensa/Foto: Erlon Rodrigues

Delegada Juliana Tuma(DEPCA), dm coletiva de imprensa/Foto: Erlon Rodrigues

A delegada Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), da Polícia Civil do Amazonas, concedeu coletiva de imprensa na tarde de hoje, quinta-feira (08), durante a qual falou sobre a prisão de um autônomo de 49 anos, denunciado por abusar sexualmente de suas três filhas, duas adolescentes, gêmeas, de 12 anos e uma adolescente de 13 anos.
De acordo com Priscila Costa, o caso foi identificado por meio de palestra realizada na escola onde as adolescentes estudam. A chefe de gabinete da instituição destacou que a ação faz parte do projeto “Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidades”, idealizado e mantido pelo delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Francisco Sobrinho, e tem por objetivo principal o combate ao uso de drogas, abuso sexual de crianças e adolescentes e a violência doméstica, além de mostrar a importância da participação da família na vida escolar dos estudantes.

“Nós identificamos este caso na instituição onde duas das filhas do autônomo estudam, após realização de uma palestra que visa o combate a crimes dessa natureza. Estamos trabalhando com ações psicoeducativas, neste primeiro momento em escolas da zona Leste da cidade, e a partir daí notamos um comportamento nas vítimas típico de quem sofre abuso. Então, com base nessas características e nos exames psicológicos, encaminhamos o caso para a Depca” argumentou Priscila Costa.

Segundo Juliana Tuma, em depoimento as adolescente afirmaram que os abusos vinham ocorrendo desde abril deste ano, na casa onde eles moravam, situada no bairro Armando Mendes, zona Leste. Conforme a delegada, o homem estava separado da mãe das meninas e voltou a morar com a família em abril deste ano, desde então elas teriam sofrido violência sexual diariamente por parte do infrator.

“Os abusos consistiam em atos libidinosos perversos e diários, pois ele chegava a filmar e fotografar a genitália das filhas, sob a justificativa de querer saber se elas ainda era virgens. Elas afirmam que ele colocava um aparelho celular no bolso de uma calça velha no banheiro para filmá-las enquanto tomavam banho e arranjava qualquer desculpa para entrar no lugar enquanto elas estavam lá para vê-las despidas. A mãe sabia dos abusos e chegou até a ver ele “examinando” uma das meninas, mas não relatou nada por ele ser um homem muito violento. Ela também vai ser indiciada por estupro de vulnerável omissivo” declarou Tuma.

Juliana Tuma explicou que o infrator foi preso, na manhã de hoje, por volta das 11h, na casa do pai dele, situada no bairro Jorge Teixeira, naquela área da capital, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido no dia 31 de agosto deste ano, pela juíza do Plantão Criminal, Patrícia Chacon de Oliveira Loureiro.

Ao longo da coletiva de imprensa, a titular da Depca revelou detalhes do depoimento do infrator. “Ele confessa que fazia esses exames nas filhas, mas via isso como cuidado e carinho. Quando o prendemos, ele ainda perguntou se estava sendo preso apenas porque tinha “se excedido nos carinhos” com as filhas dele”, disse a autoridade policial. Ainda de acordo com Tuma, antes da palestra, em que abordou diversos temas, entre eles a exploração sexual, as adolescente não sabiam que os “carinhos” do pai já estavam configurando abuso sexual.

No prédio da especializada, o homem foi indiciado por estupro de vulnerável. Após os procedimentos legais na unidade policial, ele será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá aguardar decisão da Justiça.

Sobre o projeto

Idealizado e implantado pelo delegado-geral, Francisco Sobrinho, o projeto “Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidades” tem por objetivo propiciar condições de apoio para que os gestores das escolas da rede pública possam refletir, discutir e desenvolver ações que possibilitem a redução da violência e dos índices de tráfico e consumo de drogas no contexto escolar e comunitário.

As atividades em torno do projeto foram retomadas no dia 26 de julho deste ano e visam contemplar, neste primeiro momento, 92 instituições de ensino, sendo 31 escolas da rede estadual e 61 mantidas pela Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), situadas na zona Leste de Manaus. Nessas escolas estão acontecendo, diariamente, palestras ministradas pelo delegado-geral e demais autoridades policiais. A iniciativa é direcionada aos gestores, funcionários dos colégios, estudantes, pais e responsáveis pelos alunos.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.