Amazonas Cidades

Polícia Civil conclui inquérito sobre o caso da menina Grazielly

Gilmara, Gilbervan e Gilbermilson, os indiciados/Foto: PC-Am
Redação
Escrito por Redação

A 39ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) da Polícia Civil do Amazonas, em Autazes, concluiu o inquérito sobre o caso da menina Grazielly dos Santos Costa, de 9 anos, morta por asfixia, no dia 17 de junho deste ano, quando retornava para casa, em Autazes.
Gilmara França de Souza, de 32, Gilbervan de Jesus Eloi, de 33, e Gilbermilson de Jesus Eloi, de 35 anos, madrasta, pai e tio da criança, respectivamente, foram indiciados por sequestro, homicídio qualificado por motivo torpe, asfixia e ocultação de cadáver.

O inquérito foi remetido à Justiça hjoje, quarta-feira (05), pelo delegado titular do 39º DIP, Eleandro Granja. Segundo Granja, 35 pessoas foram ouvidas e mais de 10 horas de gravações de vídeo de câmeras de segurança analisadas.

A investigação coordenada pelos delegados Eleandro Granja e Fernanda Granja, titular e adjunta da 39ª DIP, respectivamente, apontou que Gilbervan desejava matar a própria filha desde o início de 2008, para não ter que pagar pensão alimentícia.

Grazielly desapareceu entre 12h30 e 13h00 do dia 17 de junho e o corpo dela foi encontrado no dia 19 do mesmo mês, em estado de decomposição, no Ramal do Tumbira, em Autazes. Os três envolvidos foram presos, em Autazes, no dia 24 de junho, e apresentados em coletiva de imprensa realizada no dia 25 do mesmo mês, na Delegacia Geral da Polícia Civil, na zona Centro-Oeste de Manaus.

Uma das 32 testemunhas ouvidas declarou que recebeu proposta de Gilbervan, pai de Grazielly, para procurar por um assassino para matar a criança em troca de R$ 200, mas recusou o pedido.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.