Amazonas Cidades Destaques

PC elucida homicídio do prefeito de Maraã e envolvidos chegam a Manaus

Presos envolvidos no homicídio, em Maraã, conduzidos a Manaus/Foto: Assessoria
Presos envolvidos no homicídio, em Maraã, conduzidos a Manaus/Foto: Assessoria
Redação
Escrito por Redação

Envolvidos no homicídio do prefeito de Maraã, Cícero Lopes, ocorrido no último domingo (28/02), naquele município, distante 634 quilômetros em linha reta de Manaus, Marcos Aleksandro Praiano da Silva, de 25, e os comerciantes Aldemir Alves de Freitas, de 41, e Lázaro Moraes de Assis, de 40 anos, desembarcaram, em Manaus, na manhã de ontem, no Terminal de Passageiros 2, o “Eduardinho”, do Aeroporto Internacional de Manaus – Eduardo Gomes.
A informação é do delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins. De acordo com a autoridade policial, o crime teria sido motivado por conta de uma dívida no valor de aproximadamente R$ 40 mil que a Prefeitura de Maraã teria com os infratores, referente a prestação de serviços realizados no local.

Ivo Martins ressaltou que um quarto indivíduo, identificado como Adimilton Gomes de Souza, de 32 anos, chamado de “Zé da Irene”, é apontado como autor do disparo nas costas da vítima, que tinha 62 anos e foi alvejada no momento em que chegava na casa onde morava, em Maraã, por volta das 20h. Cícero ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

“As investigações estão em andamento para localizarmos Adimilton, que é considerado foragido da Justiça. Na noite de quinta-feira, dia 3, Aldemir, Lázaro e Marcos foram convocados para prestar depoimento na DIP de Maraã. Os mandados de prisão preventiva em nome deles foram expedidos sexta-feira, dia 4, pelo juiz da Comarca de Maraã, Diego Brum Legaspe Barbosa”, declarou Ivo Martins.

Conforme o delegado adjunto da DEHS, Luiz Rocha, as prisões dos três homens foram resultantes de um trabalho em conjunto, realizado entre as equipes da DEHS, integrantes do Grupo Força Especial de Resgaste e Assalto (Fera), policiais civis da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Maraã e servidores do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), designados pelo secretário de Segurança Pública do Estado do Amazonas,  delegado federal Sérgio Fontes, para atuarem no caso.

“As investigações foram iniciadas logo após o crime. O secretário Sérgio Fontes nos forneceu, por meio da Secretaria de Segurança Pública, toda a estrutura necessária para prendermos os responsáveis pelo homicídio. A participação de peritos do DPTC foi bastante significativa também, por conta das evidências encontradas e reconstituições realizadas no local do delito”, enfatizou Luiz Rocha.

O delegado adjunto da DEHS esclareceu, ainda, que Lázaro e Aldemir, comerciantes de Maraã, prestavam serviços para a prefeitura daquele município. “Tudo indica que essa dívida foi a motivação do crime. Lázaro e Aldemir contrataram Adimilton para matar o prefeito. Já Marcos Aleksandro, que é sobrinho de Adimilton, foi quem intermediou a contratação do executor do plano”, explicou.

A arma utilizada no dia do crime, uma espingarda calibre 20, foi encontrada na terça-feira, dia  1º, durantes as diligências realizadas pelas equipes da Polícia Civil no lugar. “Primeiro localizamos a arma em um terreno no Centro da cidade de Maraã e, após isso, ouvimos testemunhas que relataram que haviam visto um homem saindo do local. Durante as investigações chegamos até Adimilton, que é o proprietário da espingarda”, argumentou Ivo Martins.

Aldemir, Lázaro e Marcos foram trazidos para Manaus em um voo regional. Em seguida eles foram encaminhados ao prédio da DEHS, na zona Leste, onde foram realizados os procedimentos cabíveis. Eles foram indiciados por homicídio qualificado e ao término dos trâmites legais os infratores serão levados para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Delegado Ivo Martins, diz que Zé da Irene efetuou o disparo/Foto: Assessoria

             Delegado Ivo Martins, diz que Zé da Irene efetuou o disparo/Foto: Assessoria

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.