Amazonas Polícia

PCC se vinga, “toca o terror”, mata e fere criança em Manacapuru

Feridos chegando ao hospital, em Manacapuru.
Feridos chegando ao hospital, em Manacapuru.
Redação
Escrito por Redação

Uma verdadeira guerra entre duas facções criminosas se iniciou nas últimas horas em Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus, após o assassinato de traficante.

Na noite desta quarta-feira (12) uma pessoa morreu e pelos menos outras três saíram feridas durante tiroteio entre traficantes da Família do Norte (FDN) e do PCC, isso logo após o enterro do traficante Diego Maradona Bandeira, 27, o “Diego Olhão”.

Feridos chegando ao hospital, em Manacapuru.

Feridos chegando ao hospital, em Manacapuru.

No confronto desta quarta-feira à noite foi morto a tiros Anderson Marina Pedrosa Feitosa, 27 anos.
No tiroteio até uma criança foi atingida a tiros: Jenifer Cristina Santos Bandeira, de apenas 2 anos, que estava dentro de um veículo, levou tiro e nesse momento passa por cirurgia no hospital de Manacapuru.

Também foram feridos no tiroteio Fabrício Bandeira, 23 anos, e Marco Antônio da Silva Ataíde, 24 anos, ambos internados em estado grave.

A violência ocorreram e o medo tomam conta nesse momento de Manacapuru.

A violência ocorreram e o medo tomam conta nesse momento de Manacapuru.

O tiroteio entre traficantes da FDN e do PCC ocorreu por volta das 17h30 de hoje, na Rua Parintins, no bairro São José, quando as pessoas saíram do cemitério onde tinha acabado de ocorrer o enterro do traficante “Diego Olhão”.

“Diego” foi executado a tiros na noite anterior dentro do seu carro no bairro da Liberdade. Logo após sua morte, seus comparsas do PCC gravaram áudios e divulgaram no whatsapp, onde diziam que iriam vingar a morte do comparsa, matando um a um os integrantes da FDN, a quem responsabilizam pela execução de “Olhão”.

Foi uma ameaça anunciada que a Polícia não acreditou e a tragédia, o sangue, a violência ocorreram e o medo tomam conta nesse momento de Manacapuru.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.