Amazonas Cidades Saúde

Pesquisa desenvolvida na FCecon é finalista de Prêmio do Ministério da Saúde

FCecon desenvolve pesquisa em Coari-Am/Foto: Arquivo
FCecon desenvolve pesquisa em Coari-Am/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação
FCecon desenvolve pesquisa em Coari-Am/Foto: Arquivo

                          FCecon desenvolve pesquisa em Coari-Am/Foto: Arquivo

O projeto de pesquisa voltado para a prevenção do câncer do colo de útero, com o uso de um dispositivo de autocoleta em comunidades ribeirinhas do município de Coari, é um dos seis finalistas do Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS, do Ministério da Saúde (MS).

O projeto é a conclusão da dissertação de mestrado da Enfermeira Josiane Montanho Mariño, orientada pelos pesquisadores Kátia Luz Torres Silva, da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria Estadual de Saúde (Susam), e José Eduardo Levi, da Universidade de São Paulo (USP). O vencedor do Prêmio será conhecido em uma cerimônia no mês de dezembro.

De acordo com a pesquisadora, que também é diretora de ensino e Pesquisa na FCecon, Kátia Torres, o objetivo do projeto de mestrado, defendido no final do ano passado, foi encontrar uma alternativa para rastrear possíveis casos de câncer de colo de útero ou lesões precursoras através do uso de um dispositivo de autocoleta. Ou seja, a própria mulher fará a coleta do material cérvico vaginal para ser analisado por técnicas de detecção do DNA do Papilomavírus Humano (HPV) e da proteína E6 expressa em situações de lesão celular provocada pelo vírus.

Para a pesquisadora, essa é uma alternativa para vencer as barreiras geográficas do Estado. “Sabemos que a dificuldade de acesso leva muitas mulheres a não fazerem os exames preventivos. A autocoleta é uma forma de reduzir essa dificuldade, pois os agentes de saúde fariam apenas a análise das amostras. As mulheres, no primeiro momento, não teriam necessidade de se deslocar até uma unidade de saúde”, explicou.

Trabalho preventivo – Esta proposta tecnológica, segundo a pesquisadora, já é utilizada em países como Estados Unidos e Holanda. No Brasil, uma empresa mostrou interesse em confeccionar o dispositivo. “Esperamos que em breve ele já esteja no mercado, para que as secretarias de saúde possam adquirir”, disse.

Kátia Torres acrescenta que o dispositivo é como uma escova em que a mulher coleta as células cérvico-vaginais. Durante a pesquisa, 412 mulheres participaram do estudo, e, dessas, duas foram diagnosticadas com câncer de colo de útero e outras sete com lesões precursoras. As pacientes foram encaminhadas para tratamento na FCecon. “Esse é um trabalho preventivo importante porque conseguimos identificar a doença na fase inicial com alta sensibilidade, aumentando as chances de cura”, destacou.

Sobre o Prêmio – O Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS completa 15 anos em 2016 e é uma iniciativa do Decit/SCTIE/MS, que busca valorizar os pesquisadores da área da saúde e suas pesquisas, indispensáveis para o desenvolvimento das políticas públicas de saúde no país. Os candidatos concorrem em quatro diferentes categorias: tese de doutorado; dissertação de mestrado; trabalho científico publicado e monografia de especialização ou residência. O valor do prêmio em dinheiro varia de 15 a 50 mil reais, conforme a categoria.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.