Amazonas Formal & Informal

Pipoca a 30 reais, é um assalto praticado nos cinemas de Manaus

Redação
Escrito por Redação

O preço de R$ 30,00 por um saco de pipoca está sendo considerado um verdadeiro assalto nos cinemas de Manaus.

Tanto que esse alto preço vem causando indignação por parte de quem vai ao cinema. Um dos revoltados com a situação é o radialista Lerron Santaigo que se disse “assaltado” e “roubado” pelo alto preço cobrado pelo saco de pipoca com refrigerante nos cinemas. Lerron pede providências enérgicas aos órgãos de defesa do consumidor.

Realmente não é preciso ser economista ou especialista para comprovar que as franquias que vedem pipocas assaltam mesmo quem quer comprar o produto nos cinemas da cidade.

Vejamos: quem vende pipoca nos cinemas gasta apenas alguns centavos para encher um saco de pipoca e lucra pelo menos 2 mil ou 3 mil por cento em cima de uma única venda. O abuso é muito maior se for comparado ao saquinho de pipoca que é vendido nas praças e nas ruas de Manaus. Enquanto nos cinemas a pipoca está 30 reais, nas ruas e nas praças da cidade, o saquinho custa entre 3 e 5 reais.

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da CMM, vereador Álvaro Campelo (PP) afirmou que além do preço do abusivo, está claro que os cinemas obrigam a fazer a chamada venda casada (o que é crime pelo Código de Defesa do Consumidor) por proibir o consumidor a entrar com saco de pipoca no cinema que não seja a vendida no próprio cinema.

A ex-vereadora Mirtes Sales (PR) que já foi também presidente da Comdec também considera um “assalto” ao bolso do consumidor o preço absurdo cobrado pela pipoca.

Nas redes sociais também “pipocam” críticas ao preço abusivo e os consumidores pedem uma ação enérgica de outros de defesa do consumidor para acabar com a roubalheira praticada nos cinemas de Manaus.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.