Amazonas Política

Plano Estadual de Recursos Hídricos começa a ser desenvolvido no AM

Reunião coordenada pelo secretário Antonio Stroski/Foto: José Narbaes
Reunião coordenada pelo secretário Antonio Stroski/Foto: José Narbaes
Redação
Escrito por Redação

Numa reunião realizada ontem, sexta-feira (14), entre o secretário da pasta, Antonio Stroski, o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Marcelo Medeiros, e a diretora do Fundo Nacional do Meio Ambiente, Ana Oliveira, além de seus técnicos, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) , deu inicio às tratativas para elaboração do Plano Estadual de Recursos Hídricos.
No encontro, Governo do Amazonas e MMA definiram as prioridades e o orçamento que já está disponível no valor de 1,8 milhão – sendo 1,5 milhão do Governo Federal e o restante de contrapartida do Estado. Na próxima semana, a Sema deverá apresentar o plano de trabalho ao ministério e, na sequência, fazer as contratações de consultoria para ações em campo. A expectativa é que o plano esteja consolidado em 36 meses.

Na avaliação do secretário Stroski, o plano estadual é a espinha dorsal na gestão dos Recursos Hídricos do Amazonas, pois será através desse instrumento que o Governo do Estado terá um panorama do cenário e possibilidades para construção de políticas ambientais que definirão o uso sustentável da água.

“No plano irá constar as diretrizes de como utilizar esse importante recurso de forma racional, além de ordenar a utilização dos recursos hídricos na rede doméstica, na indústria, agricultura e pecuária”, destacou.

O secretário ponderou ainda que uma das características do Estado é a utilização da água potável por meio de captação superficial com estações de tratamento e captação subterrânea. Ambas as modalidades não possuem regras de uso atualmente. “O plano também vai contemplar diretrizes para essas duas modalidades”, acrescentou.

Afora o serviço de campo, a Sema pretende dar celeridade às discussões dentro do Conselho Estadual de Recursos Hídricos e nas câmaras técnicas formadas por profissionais e especialistas no assunto, além de fazer uma mobilização social a fim de estimular o envolvimento da sociedade na elaboração do plano.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.