Amazonas Cidades

Preso último envolvido no latrocínio de advogado, em Manaus

Carlos Alberto, último envolvido morte de advogado/Foto: Divulgação
Carlos Alberto, último envolvido morte de advogado/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Carlos Alberto, último envolvido morte de advogado/Foto: Divulgação

               Carlos Alberto, último envolvido morte de advogado/Foto: Divulgação

O delegado Adriano Felix, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), apresentou na manhã de hoje, terça-feira (06), durante coletiva de imprensa, Carlos Alberto Ferreira da Silva, de 30 anos, conhecido como “Beto”, o terceiro envolvido no latrocínio do advogado Gilson Guimarães Lage, de 87 anos, crime ocorrido no dia 8 de julho deste ano, na casa do advogado, localizada na Avenida Ayrão, bairro Presidente Vargas, na zona Sul da capital.
De acordo com Adriano Felix, Carlos foi preso por policiais da Derfd na última sexta-feira (02), na Avenida Álvaro Maia, no mesmo bairro, onde o crime ocorreu. O infrator, que já foi indiciado pelo latrocínio do advogado, estava foragido do no Centro de Detenção Provisória (CDP), onde cumpria pena no regime semiaberto por um roubo cometido em 2013.

Conforme a autoridade policial, Carlos é o terceiro indivíduo a ser preso pelo envolvimento no latrocínio do advogado. Os comparsas dele, Jonathas dos Santos Fonseca, 27, e Rafael Queiroz dos Santos, 28, foram presos pela equipe de investigação da especializada, respectivamente, nos dias 12 de julho e 10 de agosto deste ano. Com Jonathas foram apreendidos 10 relógios roubados da vítima.

“Rafael era conhecido de uma jovem que trabalhou como diarista na casa de Gilson e teria pedido a ela para facilitar a entrada dele e dos outros dois comparsas no imóvel da vítima, pedido este não atendido pela jovem. Insatisfeitos, no dia do crime, por volta das 21h30, os três teriam ido até a residência do advogado com o intuito de roubá-lo. No momento em que abriu a porta, a vítima reconheceu Rafael, pois o infrator já tinha ido ao local em outras ocasiões para buscar a diarista”, relembrou o titular da Derfd.

Adriano Felix afirmou que o trio invadiu a casa de Gilson e imobilizou o idoso. Gilson tentou empurrar os autores e acabou sendo amarrado por Carlos com o pano de uma rede e Rafael teria o enforcado, ocasião em que foi a óbito. “Os três infratores empreenderam fuga do local, levando cerca de R$ 1.600 mil, em espécie, e dez relógios da vítima, que foram, posteriormente, encontrados com Jonathas no momento da prisão dele e reconhecidos pelos familiares de Gilson”, explicou a autoridade policial.

Carlos foi indiciado por latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada ele será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.