Mundo

Primeiro compartimento para abandono de bebês é instalado nos EUA

R. Saraiva
Escrito por R. Saraiva

Na cidade de Woodburn no estado de Indiana, nos Estados Unidos, uma instalação, no mínimo, curiosa foi feita na parede externa do corpo de bombeiros: um compartimento para abandonar bebês, chamado Safe Haven Baby Box. Trata-se de uma espécie de caixa acolchoada, que dispõe de controle de temperatura, além de um sistema de segurança, que envia um chamado de emergência quando detecta a presença de um bebê. Dessa forma, a ajuda deve chegar em minutos.

A entidade The Knights of Columbus of Indiana pagará pelas primeiras 100 caixas, que custam entre U$1 mil e U$2mil cada, de acordo com a voluntária do corpo de bombeiros Monica Kelsey, que defende há anos a proposta de instalação desses compartimentos. Ela mesma foi deixada no hospital por sua mãe biológica.

Alguns críticos da medida alegam que a presença dessas caixas facilitaria o abandono dos bebês e privaria as mães de receberem assistência à saúde. “Não é um ato criminoso”, rebateu Monica, em entrevista. Para salinetar a importância da iniciativa, ela citou o caso de uma garota que ligou para os bombeiros para saber aonde poderia encontrar uma das caixas, porque se recusava a ir até um hospital.

Nos 50 estados norte-americanos, as leis garantem que as mães possam abandonar seus bebês sem sofrerem algum tipo de represália. No Brasil, segundo o que consta no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), as mulheres também podem abrir mão da guarda de seus filhos, com respaldo do poder judiciário e assistência psicológica. Basta que ela procure uma Vara da Infância.

Em contrapartida, o abandono de bebês recém-nascidos é crime, previsto no Código Penal. A pena pode varia de 2 anos a 6 anos de detenção, nos casos em que o abandono resulte em lesão corporal grave ou na morte da criança.

Muitas mães alegam principalmente a falta de condições sócio-econômicas como empecilho para continuarem cuidando de seus filhos.

(Elas)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.