Amazonas Destaques Política

Programa ‘Amazônia Conectada’ lançado hoje, vai levar internet a 52 municípios do AM

José Melo com os ministros Aldo Rebelo, Ricardo Berzoine e Jacques Vagner/Foto: Hathalie Brasil
José Melo com os ministros Aldo Rebelo, Ricardo Berzoine e Jacques Vagner/Foto: Hathalie Brasil
Redação
Escrito por Redação

Com uma previsão de investimentos da ordem de R$ 500 milhões, o Governo Federal, em parceria com o Governo do Amazonas, lançou hoje, quinta-feira (16), o programa “Amazônia Conectada”, com a meta de levar internet a 52 municípios do Estado nos próximos três anos.

Participaram do lançamento o governador José Melo, e os ministros da Defesa, Jacques Wagner; da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, e das Comunicações, Ricardo Berzoine, programa que será coordenado pelo Exército Brasileiro, prevendo a instalação de 7,5 mil quilômetros de cabos de fibra ótica nos leitos dos rios, para interligar as cidades amazonenses à rede mundial de computadores.

Iniciativa do Exército Brasileiro e do Governo do Amazonas, com a parceria de empresas privadas, o programa vai criar cinco “infovias” alcançando municípios da calha dos rios Negro, Solimões, Purus, Juruá e Madeira. A solenidade marcou, ainda, a inauguração do primeiro trecho de conexão, que interliga unidades militares do Comando Militar da Amazônia (CMA), em Manaus, e é administrada pela Empresa Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), do Governo Estadual.

Os trabalhos de conexão estão em andamento no trecho até a cidade de Tefé (a 523 quilômetros de Manaus), que totaliza investimentos de R$ 15 milhões. Durante o lançamento do programa, os três ministros assinaram portaria interministerial tratando das regras do programa e anunciaram a liberação de R$ 200 milhões para as obras. Segundo o ministro da Defesa, Jacques Wagner, o restante dos recursos está em negociação.

De acordo com o governador José Melo, a conexão à internet tem um peso importante para o futuro do Estado. Além de reduzir o isolamento da população e ampliar o acesso à tecnologia, a iniciativa vai permitir o aperfeiçoamento e a expansão de serviços como o ensino à distância e a telemedicina.

“Interconectar a Amazônia vai permitir universalizar o ensino superior e médio, permitir que o povo do interior possa ter oportunidade de acesso ao conhecimento mundo a fora, avançar nas pesquisas científicas. Permitirá também, em curto prazo, fortalecer o combate ao tráfico nas fronteiras através da interconectividade das forças armadas”, disse o governador.

José Melo afirmou que o Governo do Estado vai prestar o apoio para desenvolvimento do projeto e participar do processo de captação de recursos para execução dos trechos de conexão previstos. “Nosso governo dará todo o apoio necessário. O Amazonas tem interconectividade usando satélite, mas a fibra ótica oferece qualidade melhor. Naquilo que for de interesse do Estado como os serviços de saúde, educação e segurança faremos os investimentos necessários. Temos um investimento total de R$ 500 milhões que têm de vir também da iniciativa privada”, disse.

Além da infraestrutura, o projeto também pretende criar unidades para gerenciar o funcionamento e as emergências e incentivar a formação de pessoal especializado na área tecnológica. Esta é uma das primeiras experiências em lançamento de cabos de fibra ótica aquática para conexão à internet no Brasil, o que exigirá mão de obra qualificada no futuro para manutenções.

De acordo com o programa, em um primeiro momento, a internet chegará às unidades do Exército e dos governos estadual, municipal e federal, o que vai melhorar a prestação de serviços e a segurança de dados nacionais. Hoje, toda a internet nessas cidades é via-satélite, o que é mais caro e de baixa qualidade. Em muitos casos, a população não tem acesso ou recebe os serviços de maneira precária. Com a infraestrutura, serão desenvolvidos projetos para oferecer internet à população e haverá condições mais atrativas para a exploração comercial por empresas do setor.

De Manaus até Tefé, a conexão será feita com o lançamento dos cabos no leito dos rios. A partir de Coari, a ligação até Manaus será feita via gasoduto, na qual o Governo Estadual e a Telebras têm parceria em curso para infraestrutura de internet.

Gasoduto e Linhão – Além de novos investimentos, o projeto também vai se integrar a estruturas já existentes. O gasoduto Coari-Manaus é um exemplo. Em outra ponta, o Governo do Estado finaliza tratativas com a Telebras para atender com internet as cidades na área de incidência do Linhão de Tucuruí, beneficiando municípios da calha do rio Amazonas. Outros seis municípios serão contemplados com recursos do programa “Cidades Digitais”, do Ministério das Comunicações.

Atualmente, Manaus possui ligação para o restante do Brasil via Linhão de Tucuruí, com a infraestrutura disponibilizada para transmissão da Copa do Mundo. Dos municípios da região do Gasoduto Coari-Manaus, Iranduba e Manacapuru já estão ligados e o governo toca obras em Caapiranga.

O programa “Amazônia Conectada” envolve o Exército Brasileiro, a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, a Empresa de Processamentos de Dados do Amazonas (Prodam), o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a empresa Padtec.

José Melo sobre os benefícios que o Programa trará/Foto: Nathalie Brasil

José Melo sobre os benefícios que o Programa trará/Foto: Nathalie Brasil

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.