Amazonas Cultura

Projeto ´Construindo Diálogos´mostra processos criativos no Festival de Óperas

Projeto "Construindo Diálogos" FAO/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Trabalhar a expressão corporal, por meio de um processo colaborativo, unindo ideias de vanguarda com teorias de base da dança, farão parte do projeto “Construindo Diálogos”, no dia 25 de maio, às 20h00, no Teatro da Instalação, na rua Frei José dos Inocentes, no Centro de Manaus, estreando com atividades de working in progress na programação do 19º Festival Amazonas de Ópera (FAO), coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura, com patrocínio do Banco Bradesco.
O projeto “Construindo Diálogos”, foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança KLAUSS VIANNA 2014, da Fundação Nacional de Artes, órgão responsável pelo desenvolvimento de políticas públicas de fomento às artes visuais, à música, ao teatro, à dança e ao circo.

“Construindo Diálogos” consiste em uma extensa programação gratuita oferecida ao público ao longo do ano, que vai desde atividades acadêmicas a apresentações de dança e a montagem de um novo espetáculo, elaborada pelo coreógrafo Alex Soares, de São Paulo.

Com iniciativa da direção artística do Corpo de Dança do Amazonas (CDA) e com os apoios da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Secretaria de Cultura do Amazonas (SEC), o projeto teve início ainda antes do FAO ter começado, com oficina realizada no mês de abril sobre dança contemporânea e mesa redonda sobre os processos criativos da dança, no dia 16 de maio, ambas atividades na Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Neste tipo de atividade, será apresentada uma coreografia ainda em processo, de modo a desmistificar o processo de construção da mesma, bem como a concepção de figurinos, cenários, iluminação, enfim, apresentar as etapas que envolvem a criação e discutir com o público as escolhas feitas, de forma a refletir sobre a estética proposta. A partir disso, busca-se ouvir as primeiras impressões do público, sobre a obra no estágio em que ela se encontra.

O lançamento do projeto aconteceu em paralelo ao projeto “CDA de Portas Abertas” – que convida estudantes de dança e interessados a assistirem os ensaios do Corpo de Dança de forma gratuita -, com a oficina “Corpo De Dança Do Amazonas: dança contemporânea e processos criativos em dança”, ministrada pelos professores do Curso de Dança da UEA, André Duarte e Adriana Goes, na Escola Superior de Artes.

As atividades desenvolvidas pelos grupos artísticos administrados pela Secretaria de Cultura do Amazonas têm sido realizadas de forma a compartilhar conhecimentos e saberes, por meio de trocas enriquecedores com a comunidade acadêmica. “Desde 2015, a missão cultural do estado busca fomentar expectadores críticos, contribuir para o aprimoramento da classe artística e formar novos talentos. Temos muitos artistas a revelar!”, declarou o secretário estadual de Cultura, Robério Braga.

Working in Progress?

Para a realização da montagem coreográfica, o elenco de bailarinos e assistentes do CDA estão em contato com o coreógrafo convidado Alex Soares, que realiza laboratórios criativos e vai compondo a obra. Neste processo, o coreógrafo define os caminhos estéticos, o figurino, o cenário, a iluminação, a trilha sonora, dentro de uma temática pré-concebida por ele, que também pode sofrer ajustes e receber novas informações.

No processo criativo nada é fixo, estático, pré-estabelecido, ressalta Getúlio Lima, diretor do Corpo de Dança do Amazonas. “Durante o processo acontecem descobertas que envolvem ou definem as escolhas do coreógrafo para a construção da obra. É importante pensarmos e percebermos a obra como um organismo vivo, ou seja, em constante transformação”, declarou.

Esse trabalho de concepção coreográfica tem como objetivos apresentar um espetáculo de dança de qualidade técnica e artística, por meio de uma abordagem universal, consolidar o trabalho do Corpo de Dança do Amazonas ampliando sua capacidade de difusão e formação de novas plateias,  fomentar iniciativas educacionais e de formação, voltadas para crianças e jovens, através de oficinas, apresentações e debates sobre o processo de criação e o tema proposto para a obra, proporcionar a reflexão e o debat­­e a partir de diálogos sobre o assunto abordado no espetáculo em pauta, além de resultar em futuras apresentações do Corpo de Dança do Amazonas.

Com direção artística de Getúlio Lima, coreografia de Alex Soares, figurino de Branco Souza e iluminação de Dyego Monnzaho, o work in progress é um espetáculo livre, sem censura e voltado para todo o tipo de público que tenha interesse em dança, em arte.

Os ensaios do CDA acontecem de segunda a sexta, das 9h às 16h, no Teatro da Instalação.

Sobre Alex Soares

O coreógrafo paulista Alex Soares possui vasta experiência na área da dança, com trabalhos desenvolvidos no Brasil e no exterior, em companhias de dança contemporânea como Balé da Cidade de São Paulo (BCSP), Balé Teatro Guaíra e Cisne Negro Cia de Dança, com as quais obteve experiência variada com coreógrafos nacionais e internacionais.

Em 2011, foi convidado pela Noord Nederlandse Dans, companhia sediada em Groningen, Holanda, para criar uma videodança para a companhia e criou para o Projeto Mov_Ola Desorientações de Wii e Som, comissionado pelo 15° Cultura Inglesa Festival, em São Paulo.

Em 2012, criou Predicativo do Sujeito para o Grupo Divinadança e para o Mov_oLA, o dueto Coup de Grâce, trabalho selecionado para o 26th International Choreography Competition, evento que anualmente reúne promissores coreógrafos da dança mundial em Hannover, Alemanha. Ganhou no fim de 2012, o 4th Pretty Creatives International Choreography Competition, o que possibilitou criar Trace in Loss para a Northwest Dance Project, companhia sediada em Portland, Estados Unidos.

Em 2013, conquistou o Prêmio de Criação Coreográfica do Ano pela Cooperativa Paulista de Dança e em 2014, criou duas videodanças (Kick on taish too e Sob Rasura) para o Balé Teatro Castro Alves, e estreou DesertDweller com a Hubbard Street Dance de Chicago, Estados Unidos. Seus últimos trabalhos envolveram processos coreográficos com o Balé da Cidade de São Paulo, 19º Cultura Inglesa Festival – nova criação Mov_oLA e Balé da Cidade de Niterói – RJ, em 2015.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.