Amazonas Colunas Flávio Lauria

PropinaBrasil (Por Flávio Lauria)

Professor Flávio Lauria (AM)
Redação
Escrito por Redação
Professor Flávio Lauria (AM)

                                                        Professor Flávio Lauria (AM)

Fico a pensar sinceramente se não seria mais bem empregada essa dinheirama roubada do mensalão e petrolão, se construíssemos uma grande e espaçosa nave espacial bem brasileira – com substancial ajuda dos milhões de dólares afanados pelos políticos de barbinhas e de caras lisas que habitam nosso vergonhoso Congresso Nacional – e, com lotação esgotada, mandássemos uma leva considerável de corruptos para orbitar definitivamente em volta da Terra, com passagem só de ida.
A nossa poderosa nave, com propulsores de ventiladores de repartição pública, seria batizada de PropinaBRA o projeto seria nomeado Guerra das Estrelas e seu comandante Spock organizaria uma viagem bem divertida. Em solo pátrio, uma despedida monstruosa e festiva seria organizada pelo povo louco para se livrar da sua laia. Lá estariam na fila do adeus, Lula e todos os deputados cassados ou não pelas CPIs, seus protetores, a república de Ribeirão Preto comandada por Palocci, os líderes afastados ou não do PT, liderados por Genoíno, Delúbio e Silvinho, aconselhados de perto pelos seus cínicos servidores no Congresso sob a batuta dos deputados Cunha e Maranhão, além dos senadores Renan e Romero e a asquerosa Ideli Salvatti.

Caladinhos no fim da fila, Dantas, Okamoto e companhia financeira limitadíssima, carregavam malas e malotes de reais, dólares e euros liberados, com um conforto fúnebre. Com patentes em baixa, alguns membros do judiciário ainda se davam a arrogância de exigir overbooking, à frente Nelson Jobim, Vidigal e outros de menor expressão, contrariando a carteirada verde-amarela daquele general de Congonhas. Lula, brindava com uma marvada pinga sindicalista do ABC, acenava a todos que embarcavam ao lado da silente e carrancuda dama de ferro Dilma e do filho Lulinha exibindo sorriso amarelo.

Pois bem, chegou o melhor do lançamento: a partida. Todos a postos! Cinco, quatro, três, dois, um, já… E lá se vão os homens conquistar o mundo lá de fora – cantaria o ministro Gil, com coreografia rebolativa e ridícula da deputada Ângela Guadagnin – para alegrar a festa. Já pensaram o Zé Dirceu ainda cheio da vaidade e salamaleques de ex-metido primeiro ministro, todo alegrinho com as meninas contratadas na casa do caseiro Francenildo? Duda Mendonça e sua trupe de artes publicitárias ainda tentando fazer um desvio de rota para uma aterrisagem de emergência em Vênus e adquirir umas camisinhas para se proteger da aids. Uma nave de insensatos.

Bem, agora quero avisar aos navegantes, caso sobrevivam nas estratosferas, que não adianta me processar pela minha sugestão, pois já consegui um habeas-corpus no STF e não terei nada para responder. Quanto ao dinheiro arrecadado para a construção do foguete, a sobra, de jeito e maneira deverá ser depositado na poupança da Caixa, pois assim estará vulnerável para outros de colarinhos brancos e falas mansas da elite política que por aqui ficarão – evidentemente sem quebra de sigilo, pois os engravatados são sabidos demais.(Flávio Lauria é Professor Universitário e Consultor de Empresas-lauriaferreira@hotmail.com)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.