Amazônia Rondônia

RO: Indígena é preso por crime ambiental ao transportar filhotes de papagaio

Além da falta de ventilação adequada, na caixa também não havia higiene/Foto: Divulgação/G1
Redação
Escrito por Redação
Além da falta de ventilação adequada, na caixa também não havia higiene/Foto: Divulgação/G1

Além da falta de ventilação adequada, na caixa também não havia higiene/Foto: Divulgação/G1

Um índio de 47 anos foi preso transportando quatro filhotes de papagaio em condições irregulares em uma caminhonete no KM-17 da BR-174 em Vilhena (RO), distante 700 quilômetros de Porto Velho, no final de semana. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) as aves estavam debilitadas e sendo transportadas dentro de uma caixa sem ventilação. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) informou que os pássaros estão recebendo os cuidados necessários e serão encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) até sábado (1°).

O fato aconteceu quando a PRF realizava patrulhamento de rotina na rodovia. No momento em que os policiais pararam o veículo com seis pessoas a bordo, sendo cinco indígenas, o grupo alegou pertencerem a uma tribo de Comodoro (MT), município que faz fronteira com o estado de Rondônia.

Em vistoria a caminhonete, uma caixa de papelão foi encontrada com quatro filhotes de papagaio dentro. Três dos filhotes eram tão pequenos que ainda não possuíam penugem. Além da falta de ventilação adequada, na caixa também não havia higiene.

Sem documentação para justificar a posse das aves, os suspeitos alegaram que elas não estavam a venda, mas não deram mais detalhes. Diante do crime ambiental constatado, o grupo foi levado para a Delegacia de Polícia Civil. No local, o índio de 47 anos assumiu a autoria dos delitos, assinou termo circunstanciado, e foi liberado. Em outubro, ele terá que comparecer a uma audiência no cartório da polícia por maus-tratos à animais silvestres.

Já os papagaios foram encaminhados para o Ibama. Procurada, a direção do instituto esclareceu que as aves estão sendo cuidadas por um veterinário que fará um laudo retratando o estado de saúde delas.

O profissional declarou que as condições em que os filhotes se encontravam poderia ter causada a morte. Conforme o Ibama, o índio ainda não foi autuado. Caso a espécie das aves apreendidas estiver em extinção, ele poderá ser multado em até R$ 20 mil. (G1)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.