Amazônia Roraima

RR: greve dos professores termina e aulas vão reiniciar na segunda-feira

Redação
Escrito por Redação

Terminou ontem a greve dos professores em Roraima. O Governo do Estado apresentou outra proposta, a categoria a aceitou e hoje, com a homologação do acordo, o movimento grevista será encerrado oficialmente. O anúncio foi feito ontem à noite durante coletiva no Palácio Senador Hélio Campos, sede do Poder Executivo, no Centro.

Na mesa de discussão estavam a governadora do Estado, Suely Campos (PP); o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Roraima (Sinter), Ornildo Roberto; o deputado estadual Oleno Matos (PDT) e advogados do setor jurídico dos dois lados. As negociações começaram à tarde. Os líderes sindicais, então, levaram a proposta para ser discutida na base, que a aprovou e decidiu encerrar a greve.

“Mas, para terminar com o movimento oficialmente, o acordo deverá ser homologado amanhã [hoje]. Aí, sim, a greve será dada como encerrada. Se tudo ocorre como o previsto, os professores já estarão em sala de aula na próxima segunda-feira [dia 26]”, explicou Ornildo.

Para ser homologado, o acordo depende apenas dos trâmites jurídicos, tarefa que os advogados dos dois lados terão que realizar ainda hoje. Ainda na coletiva, o presidente do Sinter pontuou algumas situações que, segundo ele, ficaram pendentes, como a recente exoneração de seis professores seletivados e as férias dos professores.

A governadora garantiu que os seis professores seriam recontratados, mas sobre as férias ainda não há uma solução, já que o ano letivo está totalmente comprometido. Ornildo já avisou que para completar a carga horária, as aulas deste ano se estenderão até o ano que vem.

Outro assunto muito discutido foi o pagamento das progressões dos professores. Eles reivindicaram também a atualização dos valores. O governo disse que esta atualização será publicada até a próxima terça-feira, dia 27. Sobre o pagamento, o governo vai pagar de forma parcelada as progressões dos anos de 2008 a 2011. As de 2011 a 2014 serão pagas em três anos, segundo o governo.

Outro ganho dos professores: as faltas deste mês não serão descontadas. Para os professores do quadro da União, o governo vai mandar ofício para que eles também não levem falta. O governo propôs três cargas horárias para o professor escolher: de 25h, 30h e 40h. A proposta também foi aceita.

O deputado Oleno Matos, da base governista na Assembleia Legislativa, adiantou que em duas ou três semanas a lei 892 passará pelos ajustes necessários, como acordado entre governo e Sinter.

Ao final da coletiva, Ornildo agradeceu à governadora e disse que o momento foi de aprendizado para os dois lados, e que, no futuro, as partes devem buscar entendimento sem a necessidade da greve.

A governadora disse que de agora para frente, o momento é de recomeço na Educação roraimense. “A jornada é longa e desafiadora. Todos aprendemos com esta greve e a lição que fica é o diálogo. Agora é hora de todos trabalharem para termos uma educação de qualidade. É preciso recuperar o tempo perdido”, frisou Suely.

Ela também se mostrou preocupada com a reposição das aulas para o devido cumprimento do calendário escolar deste ano letivo. O sindicato e o setor técnico da Educação irão elaborar o calendário de reposição das aulas nos próximos dias. Ao lado de fora do Palácio, professores festejaram o acordo que pôs fim à greve de 72 dias.

(Folha BV)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.