Amazônia Roraima

RR: Tenente troca tiro com PMs e morre no HGR: atualizada

Redação
Escrito por Redação

O 2º tenente da Polícia Militar Rogério Ferreira Barbosa da Silva, de 48 anos, morreu ontem, pela manhã, no Hospital Geral de Roraima (HGR) após trocar tiros com uma guarnição da PM. Antes, o oficial disparou várias vezes contra a ex-mulher, Denise Lima, de 29 anos, na casa dela, na rua S-14, no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste. Ela também morreu no final da tarde de ontem na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do HGR.O casal discutia, quando a vizinhança acionou a PM. Policiais militares foram ao endereço e pediram que o tenente se acalmasse e entregasse a arma, que estava em sua cintura. Mas, segundo a vizinhança, o tenente puxou a arma e atirou contra a mulher várias vezes. Depois, ainda em um ataque de fúria, voltou-se contra a guarnição e abriu fogo.

Mas, na troca de tiro, o tenente foi baleado.

 
Duas viaturas da PM socorreram o casal. Rogério morreu assim que chegou ao centro cirúrgico do HGR. Denise passou horas na mesa de cirurgia e na UTI, mas também não resistiu. Os dois corpos foram encaminhados para exame cadavérico no Instituto Médico Legal (IML) e depois seriam liberados para o sepultamento.

Viaturas da PM se concentraram, ontem pela manhã, na frente da casa onde ocorreu o tiroteio. Outras viaturas também foram acionadas e deslocaram-se para a frente do Pronto Socorro Francisco Elesbão para onde o casal foi levado.

A Folha conversou, ontem pela manhã, com vizinhos de Denise. Eles disseram que ouviram o casal discutindo e, depois, quando a viatura chegou, vários tiros, pelo menos oito, foram disparados, segundo testemunhas.

“O tenente discutiu com a mulher e depois com os companheiros de farda. Ele surtou, pegou uma arma e começou a atirar na mulher. Em seguida, na guarnição. Os policiais, então, revidaram e o atingiram. Depois, outra viatura chegou e os dois feridos foram colocados um em cada carro e levados para o hospital”, relatou uma testemunha que também mora na rua S-14.

Ainda segundo a vizinhança, o tenente chegou a morar na casa com Denise, mas o casal estava em processo de separação. Eles tiveram uma filha, mas brigavam constantemente porque o tenente desconfiava da mulher e tinha muito ciúme. “Não foi a primeira vez que brigaram, mas desta vez aconteceu a tragédia”, lamentou a vizinha.

MORTES DE PM E EX-MULHER

Comando da PM vai abrir inquérito e Delegacia de Homicídio investiga caso

No começo da tarde, o Comando-Geral da Polícia Militar de Roraima, em nota, deu detalhes do ocorrido. Confirmou tudo o que a Folha já havia apurado pela equipe de reportagem. Ao final da nota, o comandante Santos Filho frisou que o caso seria apresentado à Polícia Civil por meio de Relatório de Ocorrência Policial (ROP), mas que a corporação acompanharia as investigações com a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM).

O comandante-geral finalizou a nota dizendo estar consternado e lamentou o ocorrido. Ele se solidarizou com os familiares do policial militar morto e com os de Denise, que ainda permanecia internada na UTI do HGR quando a nota foi divulgada.

DGH – A delegada Mirian Di Manso, titular da Delegacia-Geral de Homicídio (DGH), está responsável pelo caso. Os agentes da especializada já começaram as investigações e a delegada já intimou testemunhas para prestarem depoimento ainda esta semana.

A delegada também adiantou que já requisitou as perícias necessárias para subsidiar as investigações. Até o encerramento da matéria, às 18h30, o ROP da PM com detalhes do ocorrido ainda não havia sido entregue à Polícia Civil.

(Folha BV)

 

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.