Amazonas Esportes

Rússia tem participação ameaçada no atletismo da Rio 2016

Maria Konovalova, campeão dos 800 metros/Foto: Getty Images
Redação
Escrito por Redação

Uma comissão independente formada pela Agência Mundial Antidoping (Wada) pediu hoje, segunda-feira (09), a suspensão da Rússia de todas as competições de atletismo, inclusive dos Jogos Olímpicos de 2016, após acusações de fraude em testes de substâncias ilícitas e práticas generalizadas de doping.
Além da suspensão do país, a Wada recomendou o afastamento definitivo de cinco treinadores e de cinco atletas, entre elas Maria Konovalova, campeã olímpica dos 800 metros nos Jogos de Londres, em 2012. De acordo com as denúncias, existe uma rede para o fornecimento de doping aos atletas russos e para que os testes não identifiquem o uso das substâncias.

Todo o esquema seria conhecido por autoridades russas e pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF). A investigação da Wada apontou que Moscou manipulou resultados, subordinou dirigentes esportivos, comprou testes, criou laboratórios secretos e destruiu 1,4 mil amostras de sangue antes de serem examinadas. A comissão também afirmou que o serviço secreto russo, o FSB, enviou agentes para as Olimpíadas de Sochi e que o ministro do Esporte de Moscou, Vitaly Mutko, ordenou a manipulação de análises de doping.

Em resposta, o governo russo se defendeu e disse que o relatório da Wada tem “motivações políticas”. “As acusações têm uma motivação claramente política, assim como as sanções aplicadas contra a Rússia”, afirmou Vladimir Uiva, chefe da Agência Federal Médico-Biológica da Rússia. “Não há nenhum motivo para privar nossos atletas e treinadores de medalhas, inclusive as olímpicas, ou de desclassificá-los”, concluiu.

As denúncias foram reportadas pela comissão da Wada, liderada pelo canadense Dick Pound. As investigações começaram após alegações em um documentário de 2014 do canal alemão ARD. O relatório final da Wada, de 325 páginas, foi divulgado hoje, em Genebra, e retrata vários casos de fraudes envolvendo a IAAF.

Na semana passada, a França prendeu o ex-presidente da IAAF Lamine Diack, o conselheiro legal Habib Cissé e o ex-diretor da unidade antidoping da federação Gabriel Dollé. A polícia francesa disse que Diack, que ocupou a liderançada IAAF por 16 anos, teria recebido cerca de um milhão de euros para fraudar testes de doping, principalmente os relacionados a atletas russos. As denúncias podem ocasionar uma das piores crises já vividas no esporte e coloca pressão sobre o Comitê Olímpico Internacional (COI) para a suspensão da Rússia dos Jogos Olímpicos.

‘Wada não tem direito de suspender ninguém’, diz Rússia

O ministro russo do Esporte, Vitaly Mutko, disse que a Agência Mundial Antidoping (Wada) não tem “direito de suspender ninguém” das competições esportivas, ao defender Moscou das acusações de manter uma rede para fraudar testes em atletas.(Terra/Ansa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.