Amazonas Destaques Formal & Informal

Saulo Borges, de carnavalesco a presidente do GRES Aparecida

Saulo Borges, de carnavalesco a presidente/Foto: Divulgação
Saulo Borges, de carnavalesco a presidente/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Durante o desfile de rua realizado ontem, sábado (12), que comemorou os 36 anos de Glória e os 22 títulos conquistados, o nome do carnavalesco e jornalista Saulo Borges, foi lançado como candidato a presidente da Escola de Samba Aparecida.
Saulo é jornalista de profissão e carnavalesco por vocação. É o  carnavalesco com maior títulos conquistados do grupo especial do Carnaval Amazonense. São 11 títulos desde que entrou para a “Soberana”, em 1997.

Durante o lançamento de sua candidatura,  Saulo Borges se emocionou ao saber que vai suceder o atual presidente  Luiz Pacheco, que em sua gestão,  conquistou  todos os títulos disputados. Pacheco  já adiantou que vai apoiar Saulo  na eleição deste ano para a diretoria da Escola.

Saulo  Borges  entrou  no G.R. E.S. Aparecida em 1997 para somar na elaboração e execução do Carnaval de 98. Em 98 a escola venceu o Carnaval. “Era uma Comissão de Carnaval, mas eu desenhei todas as fantasias da escola com exceção de cinco. Só assumi como carnavalesco de fato em 99 pra fazer o Carnaval de 2000. Vencemos então 98, 2000, 2001,2003, 2004, e 2006”, disse Saulo.

Saulo foi  tirado da Escola após a eleição de março de 2007 quando foi eleito o presidente Maurício Andrade e a chapa que ele apoiava perdeu por um voto.

“Na ocasião o presidente eleito afastou a mim, a Ednelza Sahdo, Mestre Ze Carlos e todos os outros”, explicou.

Durante o ostracismo, ele foi o responsável pelos carnavais  da Balaku-Blaku em 2008  e  da Mocidade do Coroado em 2010.

Saulo voltou para a escola como carnavalesco em 2010, após a escolha da atual diretoria. “Daí vencemos 2013, 14, 15 e 16. Em 99, não houve desfile e todas foram declaradas campeãs. Em 14 também teve isso, mas por causa da chuva”, explica.

Saulo Faz questão de dizer que em todos esses anos,  além de Carnavalesco sempre foi o “braço direito”  senão as “pernas” dos presidentes da agremiação.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.