Amazonas Formal & Informal

Se Melo sair, pode não ser Eduardo Braga a assumir o Governo do Estado

Redação
Escrito por Redação

Uma grande surpresa pode abalar o meio político nos próximos dias e tem tudo a haver com a decisão que a presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TER), desembargadora Socorro Guedes vai tomar em seu despacho na segunda-feira (28).

E a bomba que deve explodir, é que não será o Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, quem assumirá o Governo do Estado caso a desembargadora decida pelo afastamento do governador José Melo, e sim a atual superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, que não confirmou e nem negou a possibilidade de vir assumir o governo numa eventual decisão pró da desembargadora Socorro Guedes.

Pessoas próximas a Eduardo Braga afirmam, que o plano do ministro é minar e colocar em prática o seu plano de vingança contra seus ex-aliados.

Faz parte da estratégia de Eduardo Braga fechar o círculo de poder no Amazonas, ou seja, se manter no Ministério de Minas de Energia e com as cadeiras no Governo do Estado e na Suframa, além de ter um forte álibi para a prefeitura de Manaus. O plano está sob sigilo, mas já há fortes indícios de que será colocado em prática, logo após a decisão da desembargadora.

Assim que a presidente do TRE der a canetada na segunda-feira, podendo decidir pelo afastamento de José Melo, Braga deve surpreender e anunciar que vai permanecer no Ministério de Minas e Energia e Rebecca Garcia deixa a superintendência da Suframa para assumir o Governo do Estado.

Sobre a Superintendência da Suframa, Braga teria um de seus aliados no comando, o atual adjunto de operações da Autarquia, Adilson Vieira.

Os planos de poder absoluto de Eduardo Braga não param por aí. Para ganhar a Prefeitura de Manaus, ele já tem dois candidatos na agulha. São eles: Marcos Rotta (PMDB) e Hissa Abraão que recentemente deixou o PPS e assinou a filiação ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Não se sabe ao certo, que estratégia Braga usará, mas nos bastidores seus aliados apostam que ele deve lançar os dois candidatos, ao mesmo tempo no primeiro turno, por coligações diferentes. E aquele que tiver melhor desempenho nas urnas, no primeiro turno, terá apoio total da máquina comandada por ele em um eventual segundo turno.

Aliados de Braga afirmam que não será tão difícil conseguir um dos principais objetivos que é tomar a prefeitura de Arthur Neto (PSDB). Na avaliação de seus aliados, a gestão de Arthur é um fracasso e vai piorar ainda mais por não poder contar com apoio de seu principal aliado que é o Governador José Melo.

Para completar, Braga vai lançar candidatos campeões de votos e de boa aceitação entre os eleitores, que é o caso de Hissa Abraão e Marcos Rota. Correndo por fora, poderá ainda ganhar outro forte candidato à Prefeitura, que é Marcelo Ramos, do Partido da República (PR), cujo presidente é o deputado federal Alfredo Nascimento, que não esconde de ninguém que é e sempre foi aliado de Braga.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.