Saúde

Secretário de Saúde faz visita técnica à FCecon, para discutir melhorias

foto-fcecon-susam
Redação
Escrito por Redação

O secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, fez nesta terça-feira (14) visita técnica à Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), percorrendo todas as dependências da unidade, conversando com os servidores e discutindo, com a direção da instituição, melhorias nos serviços oferecidos. A ação faz parte de um cronograma que o secretário já começou a executar, acompanhando pessoalmente o trabalho desenvolvido nas unidades e fundações da rede estadual de saúde.Pedro Elias detalhou, para a equipe da FCecon, os projetos do Governo do Estado para a ampliação da política oncológica no Amazonas e citou, entre as medidas que já estão em curso, a desapropriação de cinco casas ao lado da unidade. “O processo já está em fase avançada e resultará na ampliação física do hospital”, ressaltou.

 

O secretário destacou a importância do hospital como polo regional de referência no diagnóstico e tratamento do câncer, na Amazônia Ocidental. “A Fundação Cecon precisa de uma atenção diferenciada, pela importância do trabalho que executa”, ressaltou.

O titular da Susam participou de uma reunião com os responsáveis pelos serviços oferecidos na instituição e disse que irá priorizar os estudos para viabilização da expansão de dois setores importantes para o tratamento oncológico: a Radioterapia e a Quimioterapia.

Durante a visita, o secretário recebeu um resumo das atividades da unidade hospitalar. O diretor-presidente da FCecon, pneumologista Edson Andrade, explicou que, embora a maior parte dos recursos aplicados na instituição, e que custeiam pessoal e tratamento, sejam oriundos do governo estadual – e apenas uma pequena parcela do governo federal –, o hospital recebe uma quantidade significativa de pacientes de outros estados. “Hoje, 22% do nosso atendimento está voltado para pacientes do Oeste do Pará”, destacou.

O número de procedimentos também tem sido crescente, frisou. “Só ano passado, foram registrados 978,2 mil procedimentos, entre ambulatoriais e hospitalares, dentre os quais, 121 mil foram só consultas médicas e especializadas. São números que demonstram a importância da atuação da FCecon na região”, avaliou.

Investimentos

Edson Andrade explica que o volume de recursos empregados na instituição também tem aumentado, acompanhando o crescimento da demanda. Só no primeiro semestre deste ano, foram utilizados, de diferentes fontes, R$ 43,3 milhões, 9,6% a mais se considerada a proporção para seis meses do ano anterior, quando foram repassados, em 12 meses, R$ 79 milhões. “Hoje, a FCecon pode dizer que depende de recursos exclusivos do tesouro estadual, já que o valor repassado pelo SUS é insuficiente para a sua manutenção”, destacou.

Entre as melhorias obtidas com o aumento do recurso, está a assinatura de um convênio para a realização de radioterapia conformacional a pacientes portadores de câncer de próstata, modalidade que agrega melhores resultados ao tratamento.

 

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.