Amazonas Cidades

Servidores atuarão no combate à exploração sexual nos jogos olímpicos, em Manaus

Servidores recebem treinamento na Seas/Foto: Divulgação
Servidores recebem treinamento na Seas/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Servidores recebem treinamento na Seas/Foto: Divulgação

                                Servidores recebem treinamento na Seas/Foto: Divulgação

Manaus deve receber em torno de 150 mil turistas para os jogos do Torneio Olímpico de Futebol e, devido à proporção do evento, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), vai realizar ações de prevenção e sensibilização contra crimes de exploração sexual e violência com crianças, mulheres, idosos e pessoas com deficiência.

As ações fazem parte do Grupo Temático de Programas Especiais dos Jogos Olímpicos Rio 2016, e vai envolver, aproximadamente, 300 servidores públicos estaduais, municipais e de instituições ligadas às causas desses públicos.

Durante o treinamento realizado na manhã de ontem (22), no auditório do Parque do Idoso, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul de Manaus, representantes de órgãos estaduais e municipais conheceram o plano de trabalho nas áreas onde vão ocorrer as abordagens educativas, como o entorno da Arena da Amazônia e no Live Sites, que vai funcionar na Ponta Negra.

O Centro de Convivência Maria de Miranda Leão, que fica ao lado da Arena Amadeu Teixeira, será um posto de atendimento para as possíveis vítimas desse tipo de crime durante os jogos, conforme explica o diretor departamento de proteção especial da Seas, Ítalo Nonato. “Estaremos atenciosos a todos os casos de violação de direito e não é porque é um período festivo que vamos descansar nossos olhares nesse momento. Teremos pontos de atendimento no entorno da Arena e a intenção é agregar à força de segurança que vai atuar no evento olímpico”, disse.

Segundo a coordenadora do Comitê Estadual de Enfretamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes (Cevisca), Sulamita de Souza, para o êxito desse trabalho é necessária também a colaboração da sociedade. “É fundamental a participação da comunidade nesse trabalho, tendo cuidado com as suas crianças, e que se presenciarem algum tipo de ato que viole os direitos dos adolescentes, da mulher, dos idosos e das pessoas com deficiência, denuncie porque vamos tomar as providências necessárias”.

Apoio – Além da Seas estão envolvidos nesse projeto as Secretarias de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Segurança Pública – por meio do Previne (Programa de Prevenção à Violência e Combate a Uso de Narcóticos e Entorpecentes) -, Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), Educação (Seduc), Conselho Tutelar, AmazonasTur e Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh).

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.