Esportes

Sete candidatos são oficializados à presidência da FIFA

FIFA anuncia sete candidatos/Foto: Site Oficial
FIFA anuncia sete candidatos/Foto: Site Oficial
Redação
Escrito por Redação

Um comunicado emitido no site oficial da Fifa hoje, quarta-feira (28), oficializou os sete candidatos que vão concorrer ao cargo de presidente da entidade no dia 26 de fevereiro de 2016. Dentre os oito indicados que formalizaram pedido até a última segunda, o ex-jogador da seleção de Trinidad e Tobago, David Nakhid, foi o único que deixou de ser mencionado na nota da Fifa e não vai brigar para suceder Joseph Blatter. Até Michel Platini, que está suspenso, teve seu nome lembrado.
Aos 51 anos, David Nakhid serviu à seleção trinitina durante 12 anos e colecionou passagens por clubes da Bélgica, Suíça e Grécia. Ao manifestar o interesse em disputar a presidência da Fifa, o ex-atleta estaria disposto a alterar seu projeto de vida, que se baseia em uma escolinha de formação de jogadores em Beirute, capital do Líbano, para adentrar aos bastidores do futebol.
publicidade

Contudo, sua ausência no comunicado oficial da entidade indica que Nakhid não conseguiu o apoio das cinco federações necessárias para formalizar o pedido. O ex-capitão de Trinidad e Tobago chegou a conseguir respaldo da Federação Caribenha, que tem a maior parte dos votos da Concacaf, mas viu o plano da candidatura cair por terra ao não conseguir as outras quatro assinaturas.

O francês Michel Platini, que ao lado de Joseph Blatter segue impedido de realizar qualquer atividade ligada ao futebol até 8 de janeiro, quando a punição imposta pelo Comitê de Ética da Fifa expira, segue com a candidatura pendente. O Comitê Eleitoral da entidade, em trabalho conjunto com o Comitê de Ética, pretende avalizar o plano de Platini a partir do fim da punição, dando ou não o aval para o chefe da Uefa concorrer no pleito.

Assim, além de Platini, que segue como dúvida, a presidência da Fifa deverá ser disputada pelo jordaniano Ali Bin Al Hussein, pelo xeque do Bahrein Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, pelo presidente da Federação Liberiana Musa Bility, pelo secretário-geral da Uefa Gianni Infantino, pelo ex-assessor de Blatter Jérôme Champagne e pelo empresário sul-africano Tokyo Sexwale.(Terra/Gazeta)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.