Amazonas Economia

Situação econômica brasileira será tema de palestras do Corecon-AM, em escolas públicas

Marcus Evangelista, presidente do Corecon-Am/Foto: Tiago Correa
Marcus Evangelista, presidente do Corecon-Am/Foto: Tiago Correa
Redação
Escrito por Redação

A partir desta semana, o Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), realiza um ciclo de palestras nas escolas públicas da rede estadual de ensino, para debater a atual conjuntura da economia brasileira. “Estamos vivendo um grande colapso na nossa economia e precisamos que os estudantes possam entender esse processo para se tornarem agentes atuantes dentro de suas casas e na sociedade”, afirmou o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista.
A iniciativa, também, objetiva despertar nos alunos o interesse pelos estudos das Ciências Econômicas, cuja ação faz parte da campanha nacional “Vamos falar de amor?”, promovida pelo Conselho Federal de Economia (Cofecon). A escolha do slogan da campanha foi estratégica para tornar o assunto atrativo aos jovens, que durante os encontros vão debater outros temas secundários da campanha, como esportes, música, futebol, mas tendo como pano de fundo o estudo da Economia.

“Não queremos que as palestras sejam entediantes aos jovens e por isso procuramos meios que pudessem atraí-los às aulas uma vez que elas são facultativas. Acredito que muitos alunos sairão das palestras com outra visão sobre o atual momento da Economia e o que ele pode fazer para mudar sua realidade em casa e no meio social o qual está inserido”, disse Evangelista.

A profissão

O presidente do Conselho disse que outro objetivo da campanha é quebrar a imagem do estereotipo de um profissional sério e de uma profissão enfadonha. Para isso, serão trabalhadas durante as palestras histórias de economistas que trabalham em segmentos não muito conhecidos, como Economia Sustentável e Economia Ambiental.

“Precisamos desfazer essa imagem que se criou em torno da Economia: que é algo difícil de compreender, um assunto chato, só para pessoas mais velhas e antiquadas. Aproximar os jovens dessa área de estudo é uma forma de renovarmos as perspectivas da sociedade e os projetos para elaboração de cenários, projeções e alternativas na Economia para que a sociedade possa ter uma boa condição de vida”, argumentou Evangelista.

Escolas

Marcus Evangelista ressaltou que, inicialmente, 14 escolas foram selecionadas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para iniciar o ciclo de palestras e que até quarta-feira, 7, as unidades contempladas serão divulgadas internamente aos alunos.

Ele explicou ainda  que o momento é muito propício para  esclarecer os jovens sobre as diferentes áreas de atuação do economista e encantá-los com a possibilidade e importância da profissão para a sociedade. Marcus adianta que a que a Economia é destinada àqueles que possuem aptidões em diversas áreas, como Matemática, Sociologia, de Recursos Humanos e até mesmo Tecnologia, o que faz a área ser flexível, dinâmica e criativa.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.