Amazonas Saúde

Substância do breu branco pode ser o segredo para o emagrecimento

Pesquisador Émerson Lima(UFAM)/ Foto: Érico Xavier
Redação
Escrito por Redação

Você já imaginou comer tudo que tiver vontade e não engordar? Chocolate, sorvete, biscoito, dentre outras guloseimas que são deliciosas, mas que fazem você ganhar peso? Um projeto de pesquisa desenvolvido pelo professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Emerson Silva Lima, com aporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), pretende acabar com este problema.
O estudo consiste em isolar uma substância do breu branco, – uma resina que nasce do cerne do tronco de uma árvore da floresta Amazônica, que é capaz de inibir enzimas digestivas, degradar e digerir carboidratos e lipídios. A inibição dessas enzimas faz com que esses carboidratos ou esses lipídios não sejam absorvidos e, assim, reduzir a hiperglicemia (aumento do açúcar no sangue) ou a lipidemia (presença de gordura saturada no sangue) de animais ou de pacientes em tratamento com essa substância.

De acordo com o professor, o produto natural isolado do breu branco se chama amirina. A partir da amirina, pode-se fazer em laboratório a amirona, que é um produto oxidado capaz de inibir o aumento de peso. O projeto é parte da tese de doutorado da aluna do PPG-Bionorte, Rosilene Silva, e foi desenvolvido juntamente com o grupo de pesquisa do professor doutor do Departamento de Química da Ufam, Valdir Veiga Junior.

Testes e experimentos – De acordo com o pesquisador, os testes foram feitos em camundongos com uma dieta com alto teor de calorias, utilizando leite condensado, biscoito e chocolate como alguns dos alimentos.

“Nós dividimos em dois grupos: um com os camundongos que foram induzidos a desenvolver uma obesidade e outro com camundongos normais, bem magros. Esse processo durou quatro meses até eles adquirirem um peso já compatível com a obesidade e, a partir desse momento, nós começamos a tratar os camundongos obesos com a substância isolada do breu branco”, explicou o professor.

Os animais continuaram com a dieta de calorias e ao mesmo tempo em tratamento com a substância que inibe o aumento do peso do animal. Segundo o estudo, os camundongos que estavam em dieta com a substância perderam peso. “Isso é um resultado muito interessante porque realmente são poucas as moléculas que tem esse efeito de evitar um ganho de peso. O que é mais curioso é que além da redução do ganho de peso, ela também teria uma atividade de diminuição da glicose, ou seja, do açúcar no sangue”, disse Lima.

Benefícios – De acordo com Emerson Lima, os três principais benefícios que já foram confirmados no estudo são a redução da glicemia, diminuição do colesterol e a inibição do ganho de peso. A pesquisa está na última fase que consiste na confirmação se os animais não sofreram nenhum tipo de toxidade orgânica durante o tratamento com a substância.

O resultado da pesquisa já foi patenteado e algumas empresas farmacêuticas já apresentaram interesse no estudo. “Acredito que até o final deste ano já teremos esse resultado da toxidade e poderemos ter uma resposta mais consistente para essas empresas farmacêuticas”, disse o pesquisador.

Com todos os resultados obtidos, a pesquisa passará para uma nova fase, em que haverá estudos para desenvolver uma formulação a partir dessa substância do breu branco que possa melhorar ainda mais a atividade da substância.

“Ainda temos dois caminhos a seguir: o estudo da toxicologia – que estará pronto até o fim de 2016 – e o estudo da formulação para que, futuramente, esse produto natural possa vir a se tornar um fitomedicamento ou um fitofármaco e possa mudar a vida de muitas pessoas que tem uma tendência maior de ganhar peso”, disse Emerson Lima.

A resina do breu branco pesquisada/Foto: Divulgação

A resina do breu branco pesquisada/Foto: Divulgação

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.