Destaques Esportes

Surpresa no GP da Malásia: Hamilton quebra e Ricciardo vence

Nem Hamilton, nem Rosberg: deu Ricciardo na Malásia/Foto: Divulgação
Nem Hamilton, nem Rosberg: deu Ricciardo na Malásia/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Lewis Hamilton fez tudo certo e vinha na liderança até a quebra do motor com 16 voltas para o fim. A quebra não somente impediu que o inglês voltasse à liderança do campeonato, como, também, deu de bandeja a primeira vitória do ano para Daniel Ricciardo.

O australiano teve de brigar na pista com o companheiro Max Verstappen pela conquista, com Nico Rosberg em terceiro. O líder do campeonato chegou a cair para 16º após um toque na largada, mas conseguiu se recuperar para abrir 23 pontos em relação a Hamilton.

“Primeiro, pensei que tudo tinha acabado depois da primeira curva, mas consegui lutar para voltar a uma posição de pódio. Eu queria um dia melhor hoje, mas as corridas são assim. É um bom momento e estou animado para a próxima prova. Ataque total”, disse Rosberg.

Hamilton, por sua vez, estava inconsolável após a prova. “Algo ou alguém não quer que eu vença esse campeonato, mas não vou desistir, vou continuar forçando”, disse o inglês. “Não sei se o carro vai aguentar. Nestas próximas cinco corridas, sabemos o que podemos fazer, mas sabe-se lá o que esses motores vão fazer.”

Nem Hamilton, nem Rosberg: deu Ricciardo na Malásia/Foto: Divulgação

Nem Hamilton, nem Rosberg: deu Ricciardo na Malásia/Foto: Divulgação

Demonstrando-se bastante emocionado ao vencer pela primeira vez em dois anos, Ricciardo comandou uma festa bem australiana no pódio. O piloto da Red Bull já havia prometido que faria o chamado shoey caso vencesse, e não apenas bebeu o champanhe usando o próprio sapato como taça, como também fez com que o chefe do time, Christian Horner, o companheiro Verstappen e até o terceiro colocado Rosberg o copiassem.

Os brasileiros não foram bem. Felipe Massa teve problemas mesmo antes da largada e terminou em 13º. Felipe Nasr abandonou.

Como foi a prova

A corrida começou movimentada desde o início, com Verstappen e Vettel dividindo a primeira curva. Com o toque entre os dois, sobrou para Nico Rosberg, que foi atingido por trás e perdeu muitas posições, tendo caindo para 16º. Com a suspensão quebrada, Vettel abandonou. Verstappen, por sua vez, caiu para quinto. Com isso, Hamilton passou na primeira volta na frente, seguido por Ricciardo, Perez, Raikkonen, Verstappen, Button, Hulkenberg, Bottas, Grosjean e a surpresa Ocon, que pulou da penúltima fila para o décimo lugar.

Para os brasileiros, as primeiras voltas da prova não foram nada positivas. Felipe Massa ficou parado ainda na volta de apresentação, com um problema de acelerador, e largou dos pits. O piloto da Williams tentou mudar a estratégia e colocar pneus duros, mas teve um furo e perdeu ainda mais tempo. Já Felipe Nasr não conseguiu aproveitar a confusão da largada e só ganhou duas posições, subindo para 16º.

Rosberg aproveitou a rodada da primeira curva para colocar os pneus duros, os obrigatórios da corrida, e veio ganhando posições, logo voltando ao top 10. Verstappen, por sua vez, antecipou sua parada e colocou o jogo de pneus macios que tinha guardado na classificação, passando a andar bastante rápido, em quarto.

Quando Hamilton, Ricciardo e Raikkonen fizeram seus pit stops, colocando os pneus duros, o holandês foi para a ponta, tentando abrir vantagem suficiente para se manter na briga pela vitória, uma vez que ainda teria de colocar os pneus mais lentos na segunda parte da prova.

O piloto da Red Bull parou com 20 voltas para o final, voltando em terceiro, atrás de Hamilton e de Ricciardo. Ambos, contudo, ainda teriam uma parada pela frente, enquanto o holandês iria até o final sem parar novamente. Nesse ponto da corrida, Raikkonen era o quarto e Rosberg já tinha subido para o quinto posto. Perez, Button, Bottas, Alonso e Sainz completavam o top 10, enquanto Nasr era 15º e Massa, 17º.

A briga tática, contudo, acabou não acontecendo. Hamilton teve uma inesperada quebra de motor, entregando a primeira colocação para Ricciardo, que vinha em uma disputa acirrada com Max Verstappen pelo segundo lugar. Aproveitando o Safety Car Virtual, os quatro primeiros – Ricciardo, Verstappen, Rosberg e Raikkonen – pararam novamente e colocaram os pneus macios, igualando a briga na frente.

Após as paradas, Ricciardo conseguiu um ritmo melhor e abriu em relação a Verstappen. A briga, então, passou a ser pelo último lugar no pódio. Afinal, Rosberg forçou a ultrapassagem para cima de Raikkonen e foi punido com a perda de 10s, tendo de abrir essa vantagem antes da linha de chegada. A Ferrari, contudo, não teve ritmo para se aproximar e o finlandês terminou em quarto. Valtteri Bottas fez uma grande corrida, com apenas uma parada, para terminar em quinto, à frente de Perez, Alonso, Hulkenberg, Button e Palmer, que pontuou pela primeira vez na carreira.

A 17º etapa da Fórmula 1 será já no próximo final de semana,  no Japão. Faltam cinco provas para o final.

Confira a classificação do GP da Malásia
1. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-TAG Heuer 56 voltas / 1h 37m 12.776s
2. Max Verstappen HOL Red Bull-TAG Heuer +2.4s
3. Nico Rosberg ALE Mercedes-Mercedes +25.5s
4. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari +28.7s
5. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes +61.5s
6. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes +63.7s
7. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda +65.2s
8. Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes +74.0s
9. Jenson Button ING McLaren-Honda +81.8s
10. Jolyon Palmer ING Renault-Renault +95.4s

11. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Ferrari +98.8s
12. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari +1 volta
13. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes +1 volta
14. Daniil Kvyat RUS Toro Rosso-Ferrari +1 volta
15. Pascal Wehrlein ALE MRT-Mercedes +1 volta
16. Esteban Ocon FRA MRT-Mercedes +1 volta

Abandonaram
Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari
Lewis Hamilton ING Mercedes-Mercedes
Esteban Gutierrez MEX Haas-Ferrari
Kevin Magnussen DIN Renault-Renault
Romain Grosjean FRA Haas-Ferrari
Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.