Política

Temer exonera parte de funcionários que trabalharam com Dilma

As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União/Foto: Divulgação

As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União/Foto: Divulgação

O governo de Michel Temer exonerou nesta sexta (9) 14 funcionários que ainda trabalhavam com a ex-presidente Dilma Rousseff. Eles haviam permanecido na equipe da petista para auxiliá-la durante o processo de seu impeachment, que foi confirmado pelo Senado na semana passada.

Dentre eles, está um dos assessores mais próximos a Dilma, Jorge Rodrigo Araújo Messias, que ficou nacionalmente conhecido como “Bessias” após ter seu nome falado dessa maneira em um grampo vazado pela Polícia Federal.

As exonerações foram publicadas no “Diário Oficial da União” desta sexta e foram assinadas pelo ministro Eliseu Padilha (Casa Civil).

Além de “Bessias”, foram exonerados também o fotógrafo oficial de Dilma, Roberto Stuckert, o seu assessor de imprensa, Olímpio Cruz, o seu assessor pessoal, Bruno Gomes Monteiro, e a assessora Sandra Chagas Brandão, conhecida como a “Google do Planalto”, por municiar Dilma com informações de governo durante a última campanha eleitoral.

Os demais exonerados são: Daisy Barretta, Deise Veridiana Ramos, Éden Santos, Elisa Smaneoto, Maria Oliveira Costa, Mario Renato Marona, Marly Ponce Branco, Rosemeri Duarte Ferreira e Wagner Caetano de Oliveira.

Na mesma edição, a Casa Civil nomeou Olímpio Cruz como assessor especial da ex-presidente. A assessora Paula Zagotta de Oliveira também foi nomeada para exercer a mesma função.

Enquanto estava afastada do cargo, Dilma pode contar com o auxílio de 20 assessores que a acompanharam no Palácio da Alvorada. De acordo com a Casa Civil, 35 funcionários da época da petista serão exonerados no total.

O governo ainda avalia qual será o destino dos que são militares e dois ou três, responsáveis pela manutenção do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, continuam no cargo para fazer o inventário dos bens que estão no local. Eles devem ser demitidos depois deste período.

Como é assegurado a todo ex-mandatário, contudo, Dilma tem à disposição um total de seis servidores públicos -quatro seguranças e dois assessores pessoais-, além dos dois motoristas.

(Notícias ao Minuto)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.