Amazonas Política

Terceirizados das escolas municipais não recebem há 4 meses, denuncia Campelo

Alunos podem ficar sem a merenda escolar/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Alunos podem ficar sem a merenda escolar/Foto: Divulgação

                        Alunos podem ficar sem a merenda escolar/Foto: Divulgação

Merendeiras, serviços gerais e agentes de portaria, vinculados à empresa RCA, que presta serviços à Secretaria Municipal de Educação (Semed), estão com salários atrasados há quatro meses, segundo denúncia apresentada pela deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB), levada à tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas, hoje (02).
“É uma vergonha, uma Prefeitura onde a arrecadação deste ano é maior do que a do ano passado, não pagar a empresa ou a empresa não pagar essas pessoas (merendeiras, serviços gerais e agentes de portaria”, criticou a deputada.

Alessandra disse que as maiores vítimas do descaso administrativo são as crianças e adolescentes que estudam nas escolas municipais. A falta de merenda nos colégios vinculados à Prefeitura são temas de constantes pronunciamentos da deputada no Parlamento.

Outros problemas

Além do atraso nos salários dos trabalhadores da RCA, o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), vai responder ao Tribunal de Contas da União (TCU) por causa de possíveis irregularidades no fornecimento da merenda escolar para as crianças e adolescentes das escolas municipais.

A deputada lembrou que no mês de maio recebeu o ofício 08361/2016 no qual a Secretaria de Controle Externo no Estado do Amazonas, vinculada ao TCU, comunicando que foi instaurado procedimento para averiguar possíveis irregularidades na aplicação dos recursos federais do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) nos exercícios de 2013, 2014 e 2015.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.