Amazonas Destaques Esportes

Thiago Pereira corta prova, se poupa de ‘dia complicado’, mas busca recorde

Thiago Pereira, busca recorde hoje/Foto: Sátiro Sodré
Thiago Pereira, busca recorde hoje/Foto: Sátiro Sodré
Redação
Escrito por Redação

Se a quarta-feira já foi especial para Thiago Pereira quebrando o recorde de Gustavo Borges e se tornando o maior medalhista brasileiro na história dos Pans com 21 medalhas, a quinta-feira pode ser ainda mais especial para o nadador de 29 anos. Se ganhar mais uma medalha, empatará com o cubano Erick López como o maior da história da competição.
Caso o plano inicial fosse seguido, Thiago poderia até mesmo passar López já nesta quinta. Seu planejamento previa nadar os 100 m borboleta e os 400 m medley (eliminatórias pela manhã e finais à noite). Entretanto, para evitar um desgaste maior, Thiago e a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) decidiram mantê-lo apenas na prova mais longa do dia. E o multimedalhista já avançou para a decisão com o quarto melhor tempo classificatório: 4min19s92.

“A gente conversou com o Ricardo [de Moura, supervisor técnico da CBDA], vamos focar nas minhas provas principais, que são as de medley”, explicou Thiago. “São três provas, três oportunidades, então vamos focar nas provas principais. É melhor do que ir em todas e dar errado. Ontem foi bem cansativo para mim. Cheguei no quarto meia noite e meia, hoje acordei às 6 da manhã. Foi bem puxado, mas agora é fazer o melhor possível”.

Na quarta-feira, antes de decidir cortar uma das provas, Thiago Pereira já previa dificuldades para hoje. “Vai ser um dia bem complicado mesmo. Não apenas por estas duas provas, mas porque você já começa a carregar o desgaste e cansaço dos outros dias. E Este Pan tem sido muito corrido para mim, desde o início. Além de ser o porta-bandeira na cerimônia de abertura, estou tendo outros compromissos. Mas é claro que estou curtindo. É um momento único”, disse após o bronze dos 200 m peito e o ouro no revezamento 4 x 200 m livre.

Apesar de sua única medalha em Olimpíadas ter saído nos 400m medley – prata em Londres-2012 -, Thiago Pereira já reafirmou diversas vezes que esta prova não é uma de suas preferidas. Por diversas vezes, após os Jogos Olímpicos cogitou não nadá-la mais.

“Esta é uma prova bem dolorida”, disse o brasileiro.

Mas Thiago não tem muito com o que se preocupar na busca pelo recorde do cubano. Se não conseguir nesta quarta-feira, ainda terá mais chances, pois nadará ainda os 100m costas, 200m medley e o revezamento 4x100m meldey.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.