Amazonas Formal & Informal

Traficante manda sequestrar e matar líder comunitária(Atualizada)

Dora foi encontrada morta com 12 tiros/Foto: PC-AM
Redação
Escrito por Redação

Policiais do Grupo Anti Sequestro encontraram, agora, pela manhã, na área rural de Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus, o corpo que pode ser da líder comunitária da Comunidade Portelinha, próximo de Açutuba, Dora Priante.
A líder comunitária foi espancada e retirada de sua residência, por 5 homens armados por volta das 19h00 de ontem, quarta-feira (12), que teriam agido a mando do traficante Adson Dias, vulgo “Pinguelão”. Um corpo de um mulher com sinais de tortura e tiros foi encontrado na manhã de hoje, nos arredores de Iranduba.

O marido de Dora Priante, o professor Gerson Priante procurou a Delegacia de Iranduba e disse que o crime tem motivações por terras. Há pelo menos anos anos, dona “Dora” a vem sendo ameaçada pelo estelionatário e traficante local, Adson Dias, vulgo “Pinguelão”. Há um mês, o irmão e o pai de Pinguelão foram presos com várias armas em casa. O estelionatário responde há mais de 10 processos pelo mesmo crime. A delegacia de Iranduba tem pelo menos 20 Boletins de Ocorrência contra o cidadão.

Dora e o marido já tinham ido à televisão, foi à Polícia Federal e, por último, foi à Assembleia Legislativa denunciar. Pelo visto, tudo em vão. As terras pertencem ao Terra Legal, o que não impediu que vários lotes fossem tomados de seus ocupantes e revendidos a outras pessoas. Crime federal.

A morte trágica

A líder comunitária Dora Priante, foi morta com 12 tiros de pistola P.40, e seu corpo foi encontrado com as mãos amarradas com braçadeiras plásticas, à margem deo ramal do Gasoduto, no ramal 52, da rodovia AM-070, local onde ela foi a óbito.

Segundo o perito Mauro,  3 tiros atingiram à cabeça.  1 o pescoço.  4 os flancos (abdômen), e 5 membros inferiores.

A morte da líder comunitária pode ter ligação grilagem de terra/Foto: PC-Am

A morte da líder comunitária pode ter ligação grilagem de terra/Foto: PC-Am

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

error: Ops! não foi dessa vez.