Amazonas Cidades

Três municípios do AM ganharão novos abatedouros, em 2016

Urucará, Boa Vista do Ramos e Autazes, ganharão abatedouros/Foto: Arquivo
Urucará, Boa Vista do Ramos e Autazes, ganharão abatedouros/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

Cidades do Amazonas com forte tradição na pecuária, Urucará, Autazes e Boa Vista do Ramos, receberão investimentos da ordem de R$ 10 milhões para a construção de novos abatedouros em 2016, cujos projetos, que serão realizados, em parceria entre a Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) e o Ministério da Agricultura, foram anunciados na semana passada, quando da viagem do governador José Melo a Urucará e Itapiranga, para lançamento do Plano Safra, do programa de microcrédito Banco do Povo, e a entrega de tablets a professores da rede municipal.
Com a construção dos abatedouros, as três cidades terão melhoria nas condições de processamento do animal, com oferta de maior segurança sanitária, amplo aproveitamento da carne e a oportunidade de qualificar o mercado de consumo. “O abatedouro vai servir para todas as pessoas que criam gado, e que abastecem a população, possam abater os animais dentro de uma ambiência sanitária mais saudável. A carne terá muito mais qualidade e isto é importante. Quando se faz o abate de forma correta ganha-se ainda no aproveitamento integral. Ou seja, do couro, das vísceras, da carne, enfim, de tudo. Fora disso, há perdas muito grandes”, disse José Melo.

O Plano Safra, do Governo do Amazonas, dedica fatia dos seus R$ 362 milhões em investimentos para o setor da pecuária. Entre as ações, prioridade à recuperação de pastagens e adoção de novas tecnologias de criação dos animais, como o melhoramento genético. As medidas devem tornar os pastos amazonenses mais produtivos e estão vinculadas à proposta de construção dos abatedouros.

De acordo com o secretário de Produção Rural, Sidney Leite, além de atender a atual demanda de produção dos três municípios, os espaços para o abate do gado dentro dos padrões nacionais de inspeção sanitária estão sendo abertos de olho nas perspectivas de crescimento futuro. O abate ainda é um dos grandes problemas vivenciados nestas localidades, o que acaba reduzindo o potencial de acesso a novos mercados.

“Com recuperação de pastagem e adoção de tecnologia como transferência de embrião e melhoramento genético, muito em breve, aqui em Urucará, teremos a demanda para instalar um laticínio. Estamos priorizando esses municípios porque eles têm rebanho e estão funcionando praticamente sem abatedouro. A preocupação é agregar valor e melhorar a qualidade para a população”, destacou o titular da Sepror.

O total previsto para investimento contempla a construção dos prédios e aquisição de equipamentos para o funcionamento dos abatedouros. Sidney Leite adiantou que a gestão dos lugares deve ser feita pelas associações de criadores ou as prefeituras municipais. Todo o empreendimento e os critérios de operação seguirão os mecanismos estabelecidos pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf).

Em Santo Antônio do Matupi (no município de Manicoré, a 333 quilômetros de Manaus), o Governo do Amazonas apoiou o investimento do setor privado na construção de um grande abatedouro e frigorífico para o setor. As obras estão em andamento.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.