Amazônia Roraima

Uso de etanol cresce em Roraima, mas não traz vantagem ao consumidor

Redação
Escrito por Redação

Os roraimenses têm optado pelo consumo cada vez maior de álcool combustível nos veículos, também conhecido como etanol. Somente no mês de novembro, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Estado registrou alta de quase 90% nas vendas desse tipo.

No entanto, cálculos da própria agência reguladora avaliam que o uso do combustível nos veículos não traz vantagens ao consumidor em Roraima. Conforme a ANP, vale mais a pena para o consumidor usar etanol se o combustível custar até 70% do preço da gasolina.

No caso de Roraima, a pesquisa realizada em 13 postos de combustíveis da Capital pela ANP, por meio do Sistema de Levantamento de Preços (SLP), entre os dias 6 e 12 de dezembro, calcula que a gasolina, que possui preço médio de R$ 3,87, compensa mais que o álcool, com preço médio de R$ 3,53 por litro.

O cálculo do preço médio foi ponderado de acordo com as vendas de combustíveis informadas pelas distribuidoras à ANP, por meio do i-SIMP (Sistema de Informações de Movimentação de Produtos). O custo médio do litro de gasolina repassado às distribuidoras é de R$ 3,372, e o de álcool é de R$ 3,083.

Segundo o órgão regulador, o aumento no preço da gasolina, o retorno da Cide (imposto que regula o preço dos combustíveis) e a diminuição do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS) foram fatores fundamentais que contribuíram para a crescente comercialização de álcool no Estado.

A Folha conversou com o economista Raimundo Keller para tentar entender o motivo do crescente consumo de etanol pelos roraimenses, mesmo não sendo vantajoso. Para ele, o fato mostra uma mera ilusão de consumo. “Aqui no Norte não é viável a utilização desse combustível, por ser só um pouco mais baixo que o preço da gasolina. É uma falsa ilusão de que se está comprando uma coisa mais barata, sem saber que não vai haver rendimento”, disse.

Não ser vantajoso na condição de consumo, de acordo com o economista, é o suficiente para evitar utilizar o etanol.

“Pelo fato de ser um pouco mais barato as pessoas acabam comprando. Mas com o litro da gasolina, o carro popular faz acima de dez quilômetros, e com a mesma quantidade de etanol faz entre seis e sete quilômetros. Será que compensa o uso desse combustível?”, questionou.

O analista de sistemas Paulo Marques, que só abastece o veículo com etanol, disse reconhecer o fato de o combustível não trazer vantagens. “Eu uso porque, para mim, é inviável pagar quase R$ 4,00 no litro de gasolina. Nós, consumidores, somos prejudicados diariamente com esses abusos. Eu tento rodar menos, às vezes deixar o carro em casa, tudo para evitar gastar tanto com isso”, relatou.

Já o administrador Luiz Thomás afirmou nunca ter utilizado etanol no seu carro. “O meu carro é só gasolina. Para mim, não compensa e nem vou atrás de etanol, porque acho que o custo-benefício não vale à pena. Tem o lance de que o consumo é o pé do motorista, a maneira da dirigibilidade, então por isso nunca optei pelo álcool”, frisou.

(Folha Boa Vista)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.