Amazonas Economia

Utilização da capacidade de operação da indústria de construção ficou em 58%, em agosto

A queda na capacidade da indústria de construção/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A situação negativa da indústria da construção se agravou em agosto. A utilização da capacidade de operação do setor ficou em 58% no mês passado, em média. Esse foi o menor percentual da série histórica, iniciada em 2012, informa a Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O crescimento da ociosidade deve-se à extensão dos prazos de entregas das obras devido aos problemas financeiros dos clientes. Com o adiamento dessas entregas, os recursos e equipamentos continuam nos canteiros de obras, mas sendo utilizados parcialmente. Além disso, destaca a pesquisa, os empresários estão sendo surpreendidos por quedas mais intensas da demanda do que as previstas. O nível de atividade em relação ao usual para o mês, que assinalou 28,5 pontos em julho, registrou 27,2 pontos em agosto.  O índice varia de zero a cem pontos e valores abaixo de 50 pontos indicam atividade abaixo do usual.

A baixa atividade continua contribuindo para a queda no emprego do setor, cujo indicador se mantém abaixo da linha dos 50 pontos. O índice de número de empregados registrou 34,7 pontos em agosto, ante 36 em julho, sinalizando que a retração do mercado de trabalho também se intensificou.

MAIOR PESSIMISMO – A piora no cenário da indústria da construção elevou o pessimismo dos empresários para o desempenho do setor nos próximos seis meses. Em setembro, todos os indicadores de expectativas recuaram e estão abaixo dos 40 pontos. O índice de expectativa sobre o nível de atividade foi de 39,5 pontos, o de novos empreendimentos e serviços ficou em 37,9 pontos, o de compras de matérias primas e insumos recuou para 37,1 pontos e o de número de empregados, 37,3 pontos.

A elevação no pessimismo agravou a disposição dos empresários para investir. O índice de intenção de investimento na construção caiu para 26 pontos, o mais baixo da série que começou em novembro de 2013. Conforme a pesquisa, quanto menor o indicador, mais baixa é a intenção de investimento.

A Sondagem Indústria da Construção foi realizada com 597 empresas entre 1º e 14 de agosto. Dessas, 194 são de pequeno porte, 263 são médias e 140 são indústrias de grande porte.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.