Cidades

Vigilantes do interior reclamam o abandono do Sindicato à categoria

Redação
Escrito por Redação

A proximidade das eleições no Sindicato dos Vigilantes do Amazonas, nesses dias 08 e 09 de setembro, deixa trabalhadores da categoria preocupados com a possibilidade da atual diretoria permanecer mais três anos no poder, depois dos longos e inoperantes 15 anos na direção do Sindicato.A preocupação maior está refletida nos vigilantes do interior do Estado. Muitos deles, só conhecem o atual presidente Vanderli Bernardo por fotos e por panfletos na época de eleições.
Em Itacoatiara, município localizado a 380 km de Manaus, Vanderli esteve uma única vez nessa gestão e, assim, para pedir votos.

A categoria no interior “está jogada à própria sorte” e na dependência de negociações diretas com os patrões. Disse um vigilante da empresa de vigilância Servis, que preferiu não se identificar, por temer represália do atual presidente.

Depois que o presidente disse que ia construir a Vila dos Vigilantes, com construção de casas popular pelo projeto Minha Casa Minha Vida do Governo Federal, e não cumpriu pela atual condição econômica do país, Vanderli sumiu do meio da categoria.

As eleições vão acontecer nesses dias 08 e 09 de setembro, em todos os municípios onde tem representação e trabalhadores dessa categoria. Alguns deles ainda sem saber sequer, a proposta da chapa do atual presidente, para próxima gestão. “Estamos mais de 10 anos abandonados pelo Sindicato”, finalizou um vigilante da Visan.

Ao vigilante do interior falta tudo. Das horas extras que não são pagas a plano de saúde que o trabalhador tem que se deslocar a Manaus para ser atendido. Sobre isso, nem o presidente Vanderli e nem a diretoria do Sindicato tem se posicionado.

“Mas quando chega próximo às eleições para a troca da diretoria, é uma correria ao interior em busca dos nossos votos”, desabafou o vigilante da Servis.

 

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.